A Helena não gostou

A Helena Garrido acha que o Banco de Portugal não pode dizer que o intervencionismo estatal ou a rigidez do mercado laboral estão a prejudicar-nos. Diz que “o Banco de Portugal não pode, nem deve, pronunciar-se subjectivamente sobre opções que são políticas e determinadas pela escolha dos eleitores.“. Subjectivamente, é claro. Dado que, para ela, parece ser impossível fazer uma análise objectiva que o prove. (já o inverso, segundo sugere, parece ser extremamente fácil de provar). Sugiro que se despeça já o novo governador e no seu lugar se coloque alguém que defenda de forma intransigente os “valores humanistas”, e claro, as opções políticas do governo.

ADENDA: Será assim tão difícil perceber que a profusão de contratos a prazo (assim como o cada vez maior recurso a empresas de trabalho temporário) são uma consequência (e não uma negação) da rigidez do mecado laboral?

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: