Uma pechincha, não era?

Há duas semanas, o socialista Arons de Carvalho deu a cara por um movimento que se propunha defender o “serviço público” de televisão. Por uns meros 300 milhões de euros anuais garantiamos um serviço de qualidade que prestava elevadíssimos serviços à pátria. Um valor ligeiramente superior ao da poupança com o anunciado corte no abono de família a 1.383.000 crianças e jovens.

Entre a defesa do estado social ou a manutenção do serviço de propaganda a escolha do PS foi óbvia.

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: