Jornalismo de qualidade

[O]s bancários inscritos na Caixa de Abono de Família dos Empregados Bancários (CAFEB), e admitidos antes de 3 de Março de 2009, passam a descontar para o regime geral de Segurança Social e não para a CAFEB.(…) Com este acordo, o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, vai poder contar com uma receita adicional de 100 milhões de euros para fazer face ao défice.

À primeira vista isto parece um excelente negócio para os contribuintes. Mais 100 milhões de euros anuais de receita. Logo, menos 100 milhões de euros anuais em necessidades de financiamento. Certo? Errado. A receita adicional corresponde a contribuições para as reformas dos bancários. Tal como no caso da PT, quaisquer quantias que forem usadas para cobrir despesas presentes terão de ser repostas no futuro. Mas isso são impostos futuros e, tal como no passado, o governo irá alterar as regras de cálculo das reformas por forma a acomodar mais este o “buraco” orçamental.

também publicado no Cachimbo de Magritte

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: