Em seguida teremos as milícias anti-tabagistas

Para além da já conhecida intenção de acabar com as excepções previstas na lei actual, soube hoje que um estudo patrocinado pela DGS propõe que “a proibição deve estender-se às áreas circundantes de bares, restaurantes, cafés e discotecas“. O ridículo devia ter limites. Mesmo para a os fanáticos da igreja anti-tabagista.

ADENDA: “Pôr na ordem os higieno-fascistas” de António Ribeiro Ferreira (i)

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: