Tag Archives: justiça

O fardo do homem branco

Excerto de “Os Dias Contados” de Alberto Gonçalves (Diário de Notícias)

Se a diferença de tratamento não se deve à quantidade de homicídios, a diferença passa decerto pela qualidade: ou um homicida inspira acrescidas mesuras quando é árabe, ou as vítimas inspiram mais pena quando são negras. Se o primeiro ou as segundas incorrerem na infâmia de pertencer à etnia (digamos) dominante, os critérios de avaliação subvertem-se imediatamente. Os ocidentais matam por crueldade, os restantes acabam “conduzidos à delinquência”. Os ocidentais morrem sem motivo, os restantes morrem devido ao ódio ou à incúria. Os ocidentais sacrificam-se em prol da exaltação paternalista do “outro”, os restantes não devolvem a cortesia.

Para quem sentir saudade dos líderes europeus de outrora

Um tribunal francês condenou esta manhã o antigo Presidente Jacques Chirac a dois anos de prisão com pena suspensa pelos crimes de desvio de fundos públicos e abuso da confiança pública.

Por cá, os nossos políticos limitam-se a arruinar o país enquanto (misteriosamente) enriqucem pelo que não merecem sanção.

E se se fosse amarrar a um pórtico?


O mesmo irresponsável que nos deixou a onerosa factura das SCUT’s acha vêm agora culpar o governo pela actos de vandalismo na Via do Infante. Já era tempo de responsabilizarmos criminalmente esta gente.

Que país é este?

Alegado “estripador de Lisboa” denunciado por filho que queria entrar na Casa dos Segredos

Parece-me que há algo de terrivelmente errado quando alguém que não tem problemas em usar este tipo de informação para entrar num reality show nunca se tenha lembrado em o denunciar às autoridades.

Quanto às prescrições, infelizmente já estamos mais que habituados. Já nem é notícia.

Um dia toda a riqueza será criminalizada

A maioria vai incluir no projecto de lei sobre o crime de enriquecimento ilícito a proposta do PCP de que todos os cidadãos sejam abrangidos.

Não deixa de ser irónico (ou trágico) que seja uma maioria de direita a cumprir um dos mais ansiados desígnios da extrema-esquerda. A criminalização da riqueza. De resto, reitero o que escrevi aqui e aqui.

Eternamente grato ao amigo Pinto Monteiro

Cova da Beira vai a julgamento, mas investigação ficou a meio Não foi só o papel de Sócrates que ficou por esclarecer. A segunda fase do projecto foi marcada pelo favorecimento de um dos arguidos.

Estejam descansados

Não se preocupem que não há nenhum juíz que aceite isto como prova em Tribunal.

Ainda a fraude nas PPP

A edição de hoje do Correio da Manhã (aqui citado pelo Público) tráz mais alguns desenvolvimentos deste caso.

[U]ma auditoria do Tribunal de Contas ainda em curso [revela que], “os contratos iniciais apresentavam pagamentos fixos a realizar pelo Estado relativamente curtos”, mas “com a alteração dos mecanismos de pagamento, as concessionárias passaram a beneficiar de rendas avultadas, baseadas no conceito de disponibilidade”, conta o Correio da Manhã de hoje, que teve acesso ao documento e deu a notícia.

Diz-se também que “o facto de se introduzirem portagens não alterará o facto do contribuinte pagador”, pois será “este que continuará a pagar a maior fatia daqueles encargos”, pois as receitas previstas das portagens não são suficientes para cobrir as rendas anuais de cerca de 650 milhões de euros a pagar pelo Estado, lê-se naquele jornal.(…)

[Segundo a TVI] antes, “o Estado devia às concessionárias 178 milhões de euros” e que agora, “a empresa pública Estradas de Portugal ficou comprometida com um dívida superior a 10 mil milhões de euros. Com a renegociação de contratos, para introduzir portagens, as estradas ficaram 58 vezes mais caras.”

O problema é que “a receita de portagens fica longe dos novos encargos assumidos pelo erário público”.

Independentemente do caso da sonegação de documentos e da péssima gestão do interesse e dinheiro público (para não lhe chamar corrupção) os últimos parágrafos são reveladoras da necessidade de construcção daquelas infraestruturas e do desasastre financeiro que estas representam.

Mais grave ainda é a convicção que ninguém irá ser responsabilizado por isto.

ADENDA: Segundo se pode constatar nesta notícia a Estradas de Portugal está muitissimo bem entregue.

República de bananas

Pois é. Como eu já vos tinha dito noutra ocasião em Portugal o crime compensa. E de que maneira…

Apoiado!

Passos não confia em Pinto Monteiro e já o disse várias vezes. A gestão dos processos Freeport e Face Oculta ditará a substituição do procurador

Mas é preciso cuidado. Há Pintos Monteiros de todas as cores. E alguns tipo camaleão.